Captação de Recursos : Artistas unem forças para driblar a crise de falta de recursos e patrocínios

Postado por em mai 10, 2015 em Agenda | 1 comentário

Cinthya Oliveira – Hoje em Dia

Wesley Rodrigues/Hoje em Dia
Artistas unem forças para driblar a crise da falta de recursos e patrocínios

 

Em março, quando o secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo, anunciou que o teto da renúncia fiscal usado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura havia sido batido, a notícia chegou como um aríete à toda cadeia produtiva do setor cultural. Era uma prova de que as leis que permitem o abatimento de impostos a empresas patrocinadoras de projetos da área deveriam ser revistas.

O ano de 2015 deixou ainda mais clara a importância de apostar em iniciativas que fogem das leis de incentivo. Um exemplo foi a agência La Otra, criada há um ano pelas cantoras Nathy Faria e Carol Serdeira.

A intenção foi criar uma empresa que ajudasse músicos a dar um “up grade” na carreira, com soluções inteligentes para quem não conta com recursos de leis. “Comecei a perceber que os artistas são músicos, produtores, técnicos de som, que tiram as próprias fotos, pensam na própria produção de moda. Em minhas viagens internacionais, vi que isso é uma loucura”, diz Nathy.

Gestão

A partir dessa constatação, a La Otra passou a montar um cardápio de serviços que interessam à cadeia da música e negociar preços diferenciados. Além disso, a empresa ajuda a trabalhar a gestão de carreira com planejamento. Atualmente, 12 artistas contam com esse serviço de agenciamento, como as bandas Todos os Caetanos do Mundo e Nem Secos.

“Muitos desses músicos fazem outros trabalhos e oferecem esses serviços. Assim formamos uma cadeia que tem sido interessante. É preciso se reinventar, pensar em soluções como faziam os artistas da geração anterior à lei de incentivo”, completa.

Uma ideia da La Otra que tem sido colocada em prática é o projeto “Inéditas”, que a cada edição reúne sete cantoras, sempre em uma diferente casa noturna de Belo Horizonte – para não ser um projeto de nicho, segundo Nathy. A próxima edição acontece no dia 22, no Baixo Centro Cultural.

Uma iniciativa que se torna viável por conta de uma soma de forças: cada apresentação conta com fãs das sete cantoras.

Na tora

A todo momento é possível ver na programação musical um lançamento de disco realizado sem patrocínio ou recursos públicos. É o famoso “feito na tora”. Um deles é “O Mundo É Cada Um”, que o compositor Murilo Santiago lança nesta quinta-feira (7), no Teatro Dom Silvério.

Para fazer um disco de alto nível (produzido por Thiago Nunnes) e com participações de peso (Sérgio Santos, Elisa Paraíso, Toninho Ferragutti, Vander Lee e outros), Santiago lançou mão de recursos próprios, conquistados com seu trabalho como advogado, e da camaradagem. “Durante a produção, acaba acontecendo uma corrente de bons contatos. Isso não muda a necessidade de remunerar os músicos, mas há certamente algumas concessões. No disco há importantes nomes da música brasileira que certamente receberam cachês inferiores ao que estão acostumados”, diz Santiago, que contou ainda com o artista plástico Máximo Soalheiro para o projeto gráfico do álbum.

Murilo Santiago está inclinado a ser intérprete de suas composições para melhor divulgar suas criações. Segundo ele, “o artista tem que se promover de maneira inteligente e paulatina, para render bons frutos com o tempo”

Show de lançamento de “O Mundo É Cada Um” no Teatro Dom Silvério (Av. Nossa Senhora do Carmo, 230, São Pedro), nesta quinta-feira, às 21h. R$30

 

Artistas unem forças para driblar a crise da falta de recursos e patrocínios

 

Espaço com auditório e biblioteca sem dinheiro público

A crise não assustou a um grupo de intelectuais que investiram na criação de um novo centro cultural na cidade. Contando com aporte financeiro próprio, criaram o IDEA (Inovação, Desenvolvimento, Educação e Artes), um espaço no Funcionários (rua Bernardo Guimarães, 1.200) que vai contar com editora independente, biblioteca e auditório, com 70 lugares, para concertos e cursos/palestras de temáticas que envolvam cultura e conhecimento.

A inauguração, para convidados, acontece nesta quinta-feira, com direito a presença da escritora homenageada Nélida Piñon e o concerto do soprano Rosana Orsini e do pianista Marco Brescia. “O principal foco será a realização de palestras curtas, de aproximadamente 20 minutos, sobre as mais diferentes áreas, que depois serão disponibilizadas na internet”, explica a engenheira Juliana Marreco, uma das criadoras do espaço.

A renda do IDEA vai se dar por meio do uso do auditório – palestras, concertos, cursos e eventos terão entrada paga – e pela livraria – as bibliografias sugeridas por palestrantes estarão à mostra. “Mas o principal retorno é ideológico, de saber que estamos contribuindo para uma melhor realidade para nossos filhos”, afiança.

De acordo com Rosana Orsini, também criadora do IDEA, uma programação musical está sendo planejada para o auditório. “É um palco pequeno, mas com bom piano e estrutura para apresentações de música de câmara. Além disso, será possível usar o espaço para masterclasses”, afirma.

Adaptação

O produtor Maurílio Kuru Lima – responsável por projetos como “Conexão” e “Concurso de Marchinhas Mestre Jonas” – diz que integrantes de toda cadeia produtiva vão precisar se adaptar.

“Os fornecedores não podem continuar cobrando os mesmos valores, como se todo mundo ainda fosse incentivado. Além disso, o público também precisa saber que terá de tirar mais dinheiro do bolso para consumir cultura”, afirma.

Segundo ele, produtores podem se valer de financiamentos coletivos e buscar convênios com organismos nacionais e internacionais que não dependem de leis de incentivo (como embaixadas e ONGs).

Uma das trocas que o produtor tem vivenciado atualmente é no Mercado do Cruzeiro, onde está sediada a sua empresa, Cria Cultura. No tradicional espaço comercial da zona sul, hoje se encontram várias iniciativas ligadas ao universo cultural, como bares e restaurantes e a Discoteca Pública.

Ali são colocados em prática projetos que potencializam o trabalho de todos, como o Harmonize, que combina cervejas artesanais com pratos especiais.

Quem quiser acompanhar a programação do IDEA pode seguir o projeto no Facebook (Idea-Espaço-Cultural), Twitter (@ideaespacocult) e Instagram (@ideaespacocult)

Fonte : Jornal Hoje em Dia /http://www.hojeemdia.com.br/almanaque/artistas-unem-forcas-para-driblar-a-crise-da-falta-de-recursos-e-patrocinios-1.316468

Compartilhar/Favoritos

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>