Festival de Teatro promove diversidade da linguagem ibero-americana

Postado por em mar 19, 2013 em Agenda | 0 comentários

Elaine Patricia Cruz Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Começa hoje (18), no Memorial da América Latina, a sexta edição do Festival Ibero-Americano de Teatro (Festibero). Participam do evento 14 companhias de teatro de sete países: Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, México, Espanha e Portugal. O ator Lima Duarte, que participa da abertura com o monólogo A Língua de Deus, baseado em textos de Padre Anchieta, Padre Vieira, Fernando Pessoa e Guimarães Rosa, receberá homenagem especial

“É um festival que, a todo ano, vem crescendo em termos de público e que tem um compromisso com a diversidade teatral. Por meio de uma programação representativa do universo latino-americano, juntando Portugal e Espanha, [o festival] procura trazer o que tem de bom por aí no meio teatral”, disse Luis Avelima, coordenador-geral do festival, em entrevista à Agência Brasil. Neste ano, há montagens da Argentina, Bolívia, do Chile, México, da Espanha, de Portugal e do Brasil.

As peças trazem uma diversidade de linguagens, de temas e de formas de apresentação, ressaltou Avelima. “O teatro é universal, mas cada país tem a sua técnica, sua forma de mostrar ou dizer temas que são universais. Os temas são variados. A Argentina, este ano, está tratando de coisas relacionadas a uma história muito recente do país, a ditadura. É uma peça (ADN-hijos sin nombre) que trata dessa relação das mães que perderam seus filhos ou dos filhos que perderam suas mães na ditadura argentina. Uma (a peça La Muerte de un Actor), da Bolívia, trata de questões relacionadas com a vida do ator, de um cara que nasceu no palco, como ele sobrevive”, acrescentou.

Entre os destaques estão também: Pedro de Valdivia: La Gesta Inconclusa, do Chile, uma dramatização das cartas do conquistador chileno e a resistência Mapuche; La Virgem Loca, do México, monólogo da solidão, da loucura que conduz ao riso ou à gargalhada; Chrysalis, da Espanha, relação de uma dupla com seus encontros, desencontros e paixões; 1325, de Portugal, peça baseada na resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, que exorta os Estados-Membros a incluir as mulheres na construção da paz.

Mais informações sobre a programação podem ser obtidas em www.memorial.org.br

Edição: Graça Adjuto

Fonte: Agência Brasil

Compartilhar/Favoritos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>