1º Congresso da Indústria Cinematográfica Brasileira

 

 

1º Congresso da Indústria Cinematográfica Brasileira

Carlos Guimaraes de Matos Jr. foi quem organizou e presidiu o Iº Congresso da Indústria Cinematográfica Brasileira, o maior evento já realizado no Brasil para a discussão dos problemas do cinema brasileiro.

Havia grupos de cada classe, de cada setor da indústria cinematográfica envolvidos nas discussões. Produtores, Distribuidores, Exibidores, Críticos, Técnicos, Estudios de Sons, Curta Metragistas, Diretores, Atores.

Mais de 300 cineastas, artistas, técnicos e profissionais da indústria de cinema participaram do evento, que durou cinco dias de intensos trabalhos ( 23 a 27 de Outubro de 1972 – Palácio da Cultura – Rio de Janeiro)

Cineastas e artistas como Roberto Farias, Luis Carlos Barreto, Walter Hugo Koury, Luiz Severiano Ribeiro, Oswaldo Massaíni, Alfredo Palácios, Jarbas Barbosa, José Alvarenga, Paulo Fucs, Carlos Niemeyer, Sylvio Renoid, Anselmo Duarte, Alberto Salvá, Silvio Back, Carlos Alberto de Souza Barros, Pedro Rovai, Alfredo Sternhein, Valério Andrade, Rubem Biáfora, Ely Azeredo, Clovis Sena, Sergio Hinsgt, Dilma Loes, José Lewgoy, Carlos Imperial, Lola Brah, Luiz Fernando Graça Melo, Jurandir Passos Noronha, José de Almeida, Vitor Peires Bregman,  Riva Amadeo, Florentino Liorente, entre outros, faziam parte da estrutura do Congresso nas setoriais representações de classe.

Além destes, participaram do Congresso expressivos nomes como Nelson Pereira dos Santos, Roberto Santos, Luiz De Barros, Adhemar Gonzaga, Geraldo Sarno, Stil, Jece Valadão, Luiz Carlos Lacerda, Nelson Hoineff, Abdias Rodrigues, Thomas Farkas, José Carlos Avelar, Geraldo Sarno, Adnor Pitanga, Frieda Durien, Airton Benedito, Carlos Coimbra, Padre Massote, J.B. Tanko, Leilany Chediak, Ozem Sermet, Rui Santos, Rossana Guessa, Wilson Grey, Alice Gonzaga, Miguel Borges e Clovis Scarpino.

O evento teve acompanhamento dos setores internacionais do cinema, com a presença de Harry Stone, representando o cinema americano, e  Amy Courvoisier representando o cinema francês

Na revista Filme Cultura, n. 22, há um vasto material de várias páginas sobre o Congresso. Para se perceber a importância do evento vejam-se os depoimentos de alguns de seus participantes:

“Pela primeira vez tivemos oportunidade de falar amplamente sobre os problemas de implantação definitiva de uma indústria de cinema no Brasil“, Roberto Farias (p. 05).

A maior realização do cinema brasileiro dos últimos tempos“, Luiz Carlos Barreto (p. 05).

“Resultou no mais absoluto êxito“, Oswaldo Massáini (p. 05).

“O 1º Congresso da Indústria Cinematográfica Brasileira constituiu-se em autêntico sucesso“, Carlos Coimbra (p. 06).

Nós, cineastas, acreditamos firmemente que este encontro entre todas as classes representativas do nosso cinema constitui um marco de emancipação do nosso cinema “, Anselmo Duarte (p. 06).

Esse é realmente o 1º Congresso da Indústria  Cinematográfica Brasileira pelo qual me bato há anos”, Ademar Gonzaga (p. 06).

Matéria completa sobre o Congresso  na Revista Filme Cultura nº22

 

 

 

Revista Filme Cultura 22

 

Fotos do Congresso

Fotos do Congresso

Compartilhar/Favoritos