Revistas Filme Cultura, Guia de Filmes e Brasil Cinema

Publicações do Instituto Nacional do Cinema

Filme Cultura

 

Carlos Guimarães de Matos Jr., enquanto Presidente do Instituto Nacional do Cinema,  foi Diretor Responsável pelas publicações: Filme Cultura, Guia de Filmes, Brasil Cinema, Relatório SIP e Catálogo de Filmes.

A revista Filme Cultura era a mais importante revista do cinema brasileiro. Nela, encontrava-se o pensamento dos principais cineastas brasileiros, como Joaquim Pedro de Andrade, Leon Hirshman, Glauber Rocha, Walter Hugo Koury, Nelson Pereira dos Santos, Gustavo Dahl, Paulo Emilio, Zelito Viana, Adhemar Gonzaga, Luis de Barros, só para citar alguns. Havia, também, artigos sobre os principais técnicos e cineastas internacionais.

É considerada, até hoje, uma das principais referências do cinema brasileiro. Vale a pena conferir o belo trabalho feito pelo Ministerio da Cultura na preservação dessa revista no site: http://www.filmecultura.com.br/

 

Guia de Filmes

Revista Guia de Filmes era uma revista que detalhava todos os filmes, nacionais e internacionais exibidos no Brasil. Para cada filme tinha um resumo da sinopse e a sua ficha técnica completa. Guia de Filmes saiu de circulação.

 

Brasil Cinema

Brasil Cinema era o catálogo dos filmes brasileiros feito a cada ano.  Tinha fotos, sinopse, resumo da ficha técnica, nome e endereço da produtora. Era um produto de comércio dos filmes. Escrito em português, inglês e francês.  Era distribuido em inúmeros consulados brasileiros para a comercialização do filme brasileiro no exterior.

 

Informativo SIP

Essa publicação técnica era tambem publicado pelo Instituto Nacional do Cinema. Era o relatório dos números do cinema brasileiro. Filmes, rendas, ingressos, participações de mercado etc, Essa publicação era muito útil para a análise do desenvolvimento econômico do cinema brasileiro

 

Catálogo de Filmes

Essa publicação listava todos os filmes educativos, culturais produzidos ou não  pelo Instituto Nacional do Cinema e que eram exibidos nas escolas de todo o país.

Esse importante trabalho do Departamento de Filme Educativo,  que foi dirigido por muitos anos pelo grande cineasta Jurandir Noronha,  era o braço do curta metragem, dos filmes de média metragem.  Muitos dos filmes que constavam no catálogos eram importados de outros países,  quando seu conteúdo era educativo ou cultural.

Durante o período em que Carlos Guimarães de Matos JR foi presidente do INC foram inaugurados diversos cinemas educativos em varias partes do Brasil cujo objetivo era passar esses filmes.

Devemos lembrar que naquela época não havia internet ,  nem as redes de TV a cabo. A TV Educativa estava começando e dessa forma a única maneira de estudantes de outros estados do Brasil terem acesso à esses filmes era através desses cinemas educativos. Eram aproveitados os cinemas locais e teatros e neles se implantava um núcleo de exibição e distribuição de cópias e empréstimos de projetores.

Compartilhar/Favoritos